Lista de sugestões de filmes interessantes. Cada postagem traz foto, breve sinopse, censura, diretor, distribuidora, elenco, responsáveis pelo roteiro, musica e fotografia. Com o eterno deslumbramento de fã apaixonada, By Star Filmes acredita que o cinema emociona, ensina e é a melhor diversão.

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Inteligencia Artificial: AI

Artificial Inteligence: AI * * *
(2001) 143 min



Com o aquecimento global as calotas polares derretem, inundando cidades costeiras. Retirando-se para o interior dos continentes, os humanos elaboram robôs sofisticados para servi-los. A equipe do professor Hobby, da Cybertronics, lança o primeiro robô-menino com sentimentos. David é uma "criança sempre amável, nunca doente, imutável", feito para amar. Ao ser ativado por Mônica faz tudo para agradá-la. Sonha tornar-se um "menino de verdade", como Pinóquio. Depois de afastado da família, parte em busca da Fada Azul para realizar seu desejo. O ursinho eletrônico, Teddy, funciona como o Grilo Falante da história.

Curiosidades:
* David jamais pisca. Esta foi uma sugestão de Haley Joel Osment e incorporada por Spielberg.
* A seqüência de palavras ditas por Mônica para fazer David amá-la foi a lista original elaborada por Kubrick: "Cirro, Sócrates, partícula, decibel, furacão, golfinho, tulipa, Mônica, David, Mônica".
* Stanley Kubrick trabalhou durante 12 anos neste projeto, e decidiu entregá-lo para Spielberg, julgando que era "mais de acordo com sua sensibilidade". Os dois colaboraram por anos e SK deixou roteiro e desenhos detalhados (story boards) para o filme.
* Os super-robôs parecem os alienígenas de "Contatos Imediatos do 3º Grau" (1977).
* O nome do professor Hobby é uma homenagem a Kubrick. Stanley produzia seus filmes na Inglaterra com o nome de "Hobby Films".

Se a música de John Williams é espetacular, a fotografia inspirada e o desempenho de Haley Osment natural e primoroso, foi com a entrada de Teddy que entreguei meu coração. Uma versão simples deste ursinho me acompanhou toda a infância! Vai ver ao roteirista também...



NÃO LEIA ESSA PARTE SE AINDA NÃO VIU O FILME (SPOILERS)
Esta fábula sobre o amor e aceitação é muito comovente. De um lado os humanos têm atitudes brutais, ao destruir com violência os robôs que os serviram. Ao mesmo tempo, os cientistas colocam nas máquinas o que temos de melhor: a capacidade de amar. Ainda é um amor possessivo, mas era o começo. As máquinas evoluídas do futuro são serenas, solidárias, generosas: "Queremos que você seja feliz". Esse é o verdadeiro Amor, desejar o bem do outro.

Assim David se transformou num menino de verdade. Ao final de seu dia perfeito, junto à pessoa que amava, serviu-a, chorou, dormiu e foi para o lugar onde estão os sonhos. Compartilhou o destino inevitável a todos nós, humanos, a morte. Afinal, programado para amar apenas à Mônica, sem o objeto de seu afeto, a vida não tinha sentido.



Diretor:
Steven Spielberg
Roteiro: Steven Spielberg, Ian Watson, baseado em conto de Brian Aldiss ("Supertoys Last All Summer Long")
Música: John Williams
Fotografia: Janusz Kaminski
Edição: Michael Kahn
Elenco: Haley Joel Osment, Jude Law, William Hurt, Frances O'Connor, Jason Robbards.
Vozes: Robin Williams (Dr. Know)
Meryl Streep (Meca Azul)
Ben Kingsley (Especialista)


E termino com o poema que aparece 2 vezes no filme:

"The Stolen Child" (de William Butler Yeats)

Venha, ó criança humana,
para os oceanos e selvas
com uma fada, de mãos dadas,
pois o mundo é mais cheio
de lamentos do que você pode entender.

(Come away, O human child!
To the waters and the wild
With a faery, hand in hand,
For the world's more full of weeping than you can understand.)
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

banner